clicRBS
Nova busca - outros

Notícias

 | 27/04/2008 07h10min

Jamie Oliver: o chef rock´n´roll

Inglês é inspiração para jovens cozinheiros que começam a descobrir o mundo maravilhoso da culinária

Sobre um caixote de madeira, um jovem de cabelos louros desalinhados, vestindo sandálias e camisa xadrez, debulha ervas aromáticas, espreme limões sicilianos sobre o salmão fresco e percorre com os olhos o caminho feito por um rastro de azeite de oliva no prato. Aos 32 anos, o inglês Jamie Oliver poderia estar ali, no pátio de casa, pensando na melhor composição musical para uma banda.

Mas o Jamie que um dia cogitou a profissão de carpinteiro e desejou viajar pelo mundo como baterista da banda inglesa Scarlet Division preferiu outro destino: passar a vida perambulando por hortas e cozinhas, se divertindo com a combinação de alimentos e vibrando pelo êxito de cada receita.

O amor pelo sabor da natureza e a facilidade com que dá existência aos pratos o transformaram no "chef sem mistérios", um jovem bem- humorado que inovou ao utilizar em seus programas de TV poucos ingredientes e muita versatilidade. Na verdade, Oliver é um apaixonado que vibra com a finalização de cada prato. Ele é simples como suas receitas. Não usa luvas de silicone.

Suas mãos nuas (e nem sempre limpas) se agarram a facas, colheres e acariciam texturas da natureza agregadas em tomates, abobrinhas italianas, molhos de manjericão, pimentas, limões e batatas. Assim como não gosta de organizar sua mesa de trabalho, também não veste avental, roupa branca sisuda de chef ou qualquer proteção para os cabelos durante as filmagens. E seu fogão, às vezes, está no quintal, na casa da família, em um buraco no jardim de seus pais ou em uma latinha retorcida.

A mescla desse estilo rebelde e rock nroll exalta seu talento, inspira jovens a ingressarem no mundo da culinária e faz o público acreditar que é fácil cozinhar. Em entrevista concedida a DonnaZH, Oliver justificou parte do sucesso ao fato de preparar pratos simples sem perder o sabor e a qualidade. A paixão pela gastronomia e a dedicação são suas fontes de inspiração.

- É muito bom ter receitas com 50 ingredientes e conceber um prato com um sabor maravilhoso. Mas quando você tem um resultado também delicioso e cria com apenas seis ingredientes não é mais interessante? Por que não fazer isso, então? - questiona.

Considerado um "homem com amor infantil pela comida" pelo jornal inglês The Observer e uma "estrela do rock, que soa como um fanfarrão e cozinha como um anjo" pelo jornal Daily Telegraph, Oliver também ganhou notoriedade por comprar briga com pais acomodados e redes de alimentos processados. Adepto dos produtos orgânicos e naturais, propôs uma reforma no sistema da merenda escolar da Inglaterra, baseado até então em alimentos industrializados e em fast-food.

Em vez de hambúrgueres com maionese e donuts com crostas de gordura hidrogenada, a proposta de dietas ricas em verduras e fibras acendeu a polêmica em torno de seu nome e, ao mesmo tempo, ampliou o respeito de sua imagem na comunidade britânica.

- Você pode gastar menos tempo e dinheiro aprendendo pratos simples e ainda ter mais saúde - ensina.

Para Oliver, a alegria de mexer nas panelas e criar combinações admiráveis surgiu na infância. O menino que nasceu na cidade de Clavering, no interior da Inglaterra, descobriu a magia da cozinha brincando (ou atrapalhando) e trabalhando com os chefs do pub The Cricketers, propriedade de seus pais. Lavava copos, varria, esfregava e arriscava-se a fazer os primeiros pratos. Descobriu ali que era na cozinha onde "habitava o espírito dos homens de verdade", como escreveu em seu livro Jamie Oliver - O Chef sem Mistérios.

- É melhor começar a carreira quando se é jovem. É nessa fase que, se você tem uma paixão e trabalha para isso, gasta toda sua energia nela. Assim é possível ter chances de sucesso - diz.

Após experimentar a liberdade no pub, onde recebia dicas e desenvolvia habilidades, aos 15 anos, passou duas semanas trabalhando para ganhar experiência no Starr, em Gret Dunmow, onde terminou responsável pela seção de cozinha. Aos 16 anos, ingressou na Westminister Catering College e não parou de trabalhar e dedicar seu tempo a experiências gastronômicas nos melhores restaurantes da Europa. O tempo lhe deu amadurecimento, o ajudou a colocar em prática a criatividade, o talento e o amor à cozinha, e a sorte o levou para a TV.

Foi há 12 anos a primeira aparição de Oliver nas telas. Ele trabalhava em um restaurante quando uma produtora descobriu seu talento em um documentário de gastronomia. Em seguida, gravou episódios do The Naked Chef e Olivers Twist, escreveu livros, lançou o restaurante Fifteen - um dos projetos de maior repercussão, destinado a dar treinamento a jovens com desvantagens sociais - e faz até hoje, com muita empolgação e paixão, suas receitas para o mundo assistir e testar.

- Estava conversando com uma amiga que trabalha com jovens que tiveram problemas com o crime e ela propôs fazer alguma atividade para resgatar a auto-estima deles. Decidi apostar em um treinamento na cozinha, e o resultado foi maravilhoso - conta Oliver.

Estrela na TV, inspiração para jovens cozinheiros e um marido participativo: longe das luzes e das câmeras, na casa em Hampstead, em Londres, Oliver divide os momentos de folga com a mulher, chamada carinhosamente de Jolls, e as filhas Poppy Honey e Daisy Boo.

Nos finais de semana, cozinha para as meninas. Testa criações gastronômicas, busca inspiração no jardim e recebe o apoio das filhas, que o ajudam a colher ervas e a mexer nas panelas. Na ausência do "chef-pai", Jolls é a responsável por alimentar as pequenas.

- Jolls não costumava cozinhar tão bem, mas está ficando cada vez melhor - atesta o marido. - Algumas vezes dou dicas, mas quer saber? Ela não precisa.

Sem planos de quando fará a primeira visita ao Brasil, Oliver teve o contato mais importante com a cultura brasileira durante um encontro em Miami, nos Estados Unidos, com o chef francês radicado no Rio Claude Troisgros para o programa Truques de Confiança, do canal GNT. Se deliciou com a caipirinha, conheceu o sabor de frutas como o caju e a jabuticaba e foi convidado a preparar um peixe com Troisgros.

Atualmente, segue fazendo experimentos de sabor na parte da casa onde "começam a despontar os primeiros vegetais e legumes frescos" e pensa em estratégias para dar fôlego à administração da série de restaurantes de rua que lançou recentemente no Reino Unido, chamada Jamies Italian. Um novo livro também começa a ser fomentado, e promete revelar mais um capítulo de sucesso de um dos mais inovadores chefs dos últimos tempos. Como diria Oliver após saborear suas receitas, its lovely!

ZH/CADERNO DONNA
 Chefinho Jamie
No Brasil, o chef inglês publicou os livros Jamie Oliver - O Chef sem Mistérios, Jamie Oliver - O Retorno do Chef sem Mistérios, e Jamie Oliver - a Itália de Jamie. Seus truques culinários podem ser vistos às terças, quartas, quintas, sábados e domingos no programa Em Casa com Jamie Oliver, do GNT
Jamie Oliver assume não gostar de organizar a cozinha e se diz um apaixonado pelo jardim de casa, onde nascem os alimentos e a inspiração para as receitas mais recentes. Leia trechos da entrevista que concedeu ao caderno Donna, de Zero Hora.

É cada vez maior o número de homens que vão para a cozinha como uma forma de encontrar lazer e prazer. Essa é uma tendência do homem moderno?

Jamie Oliver - Acredito que a velha expressão de que lugar de mulher é na cozinha faz parte do passado. Não conheço a realidade de todo o mundo, mas, em muitos países, os homens estão cozinhando mais e se dando muito bem na cozinha. Estão fazendo pratos maravilhosos e gostando disso. Quanto mais você cozinha com um pouco de amor, sua comida tende a ficar cada vez mais deliciosa.

Qualquer pessoa é capaz de cozinhar bem?

Oliver - Acredito que qualquer pessoa pode cozinhar com um pouco de aula e muito entusiasmo. Há muito tempo as pessoas pensam que não conseguem ou não sabem cozinhar. É um pensamento comodista porque elas acabam nem se preocupando em tentar. Relaxam e preferem comprar comida pronta.

Você prepara novos pratos todos os dias e tem experiências gastronômicas desde muito cedo. Você ficou mais criterioso na hora de comer?

Oliver - Gosto de comer todos os tipos de comida: saladas, assados, ensopados, todos os tipos mesmo. Não há algo de que goste mais. No momento, o jardim da minha casa começam a despontar os primeiros vegetais e legumes. Estou ansioso pelo momento de retirá-los e preparar novos pratos.

Quem cozinha e se arrisca a testando combinações, como você, pode ter uma decepção. Você lembra de algo marcante que tenha acontecido?

Oliver - Não acredito que exista um prato pior. Se as idéias sobre o prato não funcionarem, então é simples: não temos a receita. Minhas preferências mudam o tempo inteiro.
Divulgação, 15/04/2008  / 

O chef Jamie Oliver encanta as mulheres com suas técnicas nada tradicionais
Foto:  Divulgação, 15/04/2008


Veja mais em Comportamento
Comente esta matéria

Notícias Relacionadas

27/04/2008 07h10min
Felicidade masculina atrás do fogão
18/04/2008 10h53min
O que é um feiosexual?
18/04/2008 10h36min
As várias faces da feiúra
18/04/2008 10h14min
O marketing que envolve o derrière
17/04/2008 12h34min
A TPM, segundo eles
 
SHOPPING
  • Sem registros
Compare ofertas de produtos na Internet

Grupo RBS  Dúvidas Frequentes | Fale Conosco | Anuncie | Trabalhe no Grupo RBS - © 2022 clicRBS.com.br • Todos os direitos reservados.