OS PRÓXIMOS PASSOS DO PROCESSO

15 DE ABRIL

O parecer da comissão de impeachment é incluído na ordem

do dia do plenário. A análise do documento deve durar pelo menos três dias e se estender até o domingo.

17 DE ABRIL

No domingo, o pedido de impeachment  deve ser votado

pelos deputados.

MAIO

O Senado decide se dá sequência

ao processo de impeachment.

OUTUBRO

Em sessão comandada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) no Senado, é votado o impeachment da presidente Dilma.

A condenação ocorre se dois terços dos senadores votarem a favor. Ou seja, 54 dos 81 parlamentares.

19 DE ABRIL

Ainda não há manifestação oficial do Senado a respeito das datas, mas a tendência é de que a Casa abra o processo nesta data, dia em que ocorre sessão deliberativa. Em seguida, em data a ser definida, é instalada a comissão especial do impeachment no âmbito do Senado. O colegiado tem 10 sessões

para emitir um parecer.

Arquivamento

Se menos de dois terços dos deputados aprovarem a admissibilidade do impeachment, o pedido é arquivado.

Arquivamento

Se o parecer

for contrário

à continuidade

e também

aprovado por maioria simples em plenário, extingue-se

o processo.

Absolvição

Se for absolvida, Dilma reassume

o mandato

imediatamente.

Abertura do processo

Se o afastamento receber apoio de 342

dos 513 parlamentares,

é aberto o processo, que é enviado ao Senado no dia seguinte à votação.

Prosseguimento

do processo

Se o parecer for favorável e,por maioria simples, os senadores optarem por afastar a presidente Dilma, ela deixa o cargo temporariamente por 180 dias. Assume o vice-

presidente Michel Temer.

Condenação

Se for condenada, a presidente é destituída

e Temer é empossado, seguindo até o fim do mandato, em 2018. Dilma fica inelegível

por oito anos.